terça-feira, 4 de novembro de 2014

55ª produção

PRANTOS PARDOS
 

Nesta produção há seis actrizes para outras tantas mulheres retiradas da obra de Gil Vicente.  


Maria Parda continua uma alcoólica, mas deixou de andar de tasca em tasca e agora é a responsável pelas bebidas do bar de uma casa de diversão nocturna. O seu discurso saltita entre o real e o imaginário, cruzando momentos de lucidez com outros de perfeito delírio.
 
Brizida Vaz que em Gil Vicente dava as moças aos molhos e criava as meninas para os cónegos da Sé aqui é dona de um bar de diversão nocturna, onde muitas coisas acontecem e as mulheres procuram ganhar a vida desafiando os clientes a beber.

Branca é a mais nova todas e o alvo privilegiado de muitas iras. Tenta reagir de forma contida às situações em que se vê envolvida, mas por vezes sente-se incapaz de aguentar a situação em que se encontra por muito mais tempo. Fica mesmo à beira de abandonar os seus sonhos, por vezes.

Inês Pereira é mais rebelde e a que tenta romper com todas as normas estabelecidas. Quando obtém qualquer coisa perde logo o interesse para ela. Nunca recusa um novo desafio ou aventura, é uma insaciável e insatisfeita, que busca um mundo novo capaz de satisfazer todos os seus desejos.

Leonor Vaz é mais uma herdeira das alcoviteiras de Gil Vicente. É astuciosa e mistificadora, procura meter sempre um grão na engrenagem e sente-se bem a dizer mal de tudo e de todos. É bastante ambiciosa e considera-se melhor do que todas, capaz de realizar todos os seus desejos e agradar a toda a gente.

Mofina Mendes personifica o tipo de pessoa a quem tudo corre mal, por mais que se esforce e tente fazer tudo da forma mais adequada, de acordo com as normas vigentes. Sente-se sempre incompreendida e infeliz, nunca consegue realizar os seus desejos ou sonhos.

Nas falas e nos jogos das personagens há uma crítica social e a denúncia de males e imposturas existentes no presente e no passado. As queixas que são desfiadas são um espelho do momento, mas também um reflexo do passado e uma projecção para o futuro.
Num tom de comédia são abordados temas como a miséria, a fome, o desemprego, a emigração, o alcoolismo, entre outros, embora muitas vezes através do riso, para além de questões correntes do dia-a-dia.


 
Ficha técnica
Texto: criado a partir de autos de Gil Vicente
Dramaturgia e Encenação: Deolindo L. Pessoa
Elenco: Andreia Teixeira (Leonor Vaz), Ângela Frota (Mofina Mendes), Carlos A. Cunha (Montalvão), Joana Macias (Inês Pereira), Judite Maranha (Maria Parda), Maria São José (Brizida Vaz) e Vanessa Marques (Branca).
Cenografia e Figurinos: Filipa Malva | Desenho de Luz: Guilherme Barbosa | Sonoplastia: A. Leal | Apoio na Coreografia: Leonor Barata | Design gráfico: Vanessa Marques | Fotografia: Jorge Valente | Direcção técnica: Guilherme Barbosa | Montagem e operação técnica: Carlos Mendes, Guilherme Barbosa e Hugo Maranha | Costureiras: Lucilia Neto, Né Pessoa e Rosinda Pessoa | Direcção de cena: Carlos A. Cunha e F. Capinha Lopes | Produção executiva: F. Capinha Lopes
Produção: CITEC 2014
 

Sem comentários:

Publicar um comentário